quarta-feira, 25 de maio de 2011

Foto e poema, dois lados.

Os que me conhecem, sabem o quanto eu sou mais a favor da prosa do que do poema. Porém, foi inevitável produzir um poema numa oficina sobre foto e poesia, oficina esta ministrada por Thalita Covre (dona da foto abaixo que inspirou meus singelos versos) onde me senti tão bem que até esqueci do tempo. Fotografei e escrevi, me senti em casa. A poesia sempre me parece um risco quando em versos. Espero que gostem!

Obs: veja o resultado completo da oficina aqui!!!


Entre partir e ir
disfarço
um trilhão de fatos

Num passo-a-passo
infinito traço
preso num retrato
e no crasso

transmitir e transverter
me meto
em busca do outro lado

subvertendo,tento
de imediato, paro
pra prosseguir
é preciso tato.

Em meio ao redemoinho,
nem todos passarão
e eu, passarinho?

2 comentários:

Francielli disse...

O que uma calopsita não faz...
Posso dizer que me encantei com a última estrofe? O diálogo entre Quintana e Rosa ficou uma gracinha.

Desculpa o comentário gay, depois de meia noite tem gente que fica assim.

Vou te seguir aqui, literalmente.

Abraços,
uma colega da ufes aí.

Thay Cosbet disse...

Quintana, Rosa e Ornellas juntos!
Bão demais!